Pesquisar neste blog:

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Whitesnake e Judas Priest no Brasil - o que esperar - parte I - Whitesnake

Este post é o primeiro a falar sobre a turnê conjunta que aporta no Brasil no próximo mês de setembro, trazendo mais uma vez Judas Priest e Whitesnake (eles já tinham vindo juntos em 2005). Esta primeira parte vai falar sobre o Whitesnake, a segunda parte falará sobre o Judas Priest.

Whitesnake mais atual, com Doug Aldrich e Reb Beach nas guitarras
Para quem não sabe, o Whitesnake nasceu depois do final da formação Mk4 do Deep Purple. No post que comentei sobre a versão comemorativa de 35 anos do "Come Taste The Band" (leia aqui), que seria o último do Deep Purple nos anos 70, falo um pouco deste final. Depois do final, Coverdale parte para a formação de uma nova banda, levando o tecladista Jon Lord com ele (Jon ficou até 1984, quando voltou para a reunião da formação Mk2; outro membro do Purple, Ian Paice, também tocaria no Whitesnake, de 1980 a 1982). Os primeiros discos da nova banda seguiram um caminho bem blues-rock, muito interessante, onde destaco os discos "Lovehunter" (o clássico "Walking In The Shadow Of The Blues" é dele) e "Ready An' Willing" (este tem o clássico "Fool For Your Lovin'"). Estes discos fizeram sucesso principalmente na Inglaterra, terra natal da banda, mas o grande mercado americano meio que ainda ignorava a banda. Isto ia mudar em 1984...

Whitesnake em 1984, com Cozy Powell, John Sykes e Neil Murray
1984 seria o ano de lançamento de "Slide It In", um separador de águas na carreira da banda. Primeiro, ele traz uma sonoridade mais próxima do hard rock que fazia sucesso nos EUA. Segundo, seu sucesso abriu as portas do mercado americano para a banda, uma espécie de pavimentação para o grande estouro de sucesso, que aconteceu com o próximo disco, o álbum homônimo, também conhecido como "1987". Este traria a sonoridade totalmente hard rock, com baladas para aumentar o sucesso da banda (e conseguiu: o disco alcançou a segunda posição da parada americana). "Slip Of The Tongue" seguiria exatamente o mesmo estilo, com a adição do grande guitarrista Steve Vai. Uma curiosidade deste álbum é a participação, ainda que apenas em alguns backin' vocals, de Glenn Hughes, ex-parceiro de Coverdale no Deep Purple.

A banda na época do lançamento de "Slip Of The Tongue", com Steve Vai:
o estilo de cabelos dos anos 80 impera
Curiosamente, após tanto sucesso, a banda meio que implodiu. Steve Vai partiu para uma excelente carreira solo, com discos instrumentais fantásticos ("Passion & Warfare", de 1990, é um clássico para mim). Já Coverdale partiu para um projeto interessante com Jimmy Page, que rendeu um bom álbum, lançado em 1993 - "Coverdale & Page". Em 1994, Coverdale remonta a banda, faz uns poucos shows e volta ao ostracismo. 1997 marca o retorno da banda, tocando inclusive no Brasil, no finalzinho do ano (fui neste show e foi bem interessante - os principais clássicos estiveram presentes). Depois deste retorno, mais cinco anos de ostracismo até 2002, quando mais uma vez a banda é reformada para uma turnê comemorando 25 anos da banda. Algumas turnês se seguem até que, enfim, em 2008, a banda lança um novo disco de estúdio, "Good To Be Bad", um grande disco de um hard rock poderoso e até boas lembranças do outrora belo som que a banda levava no final dos anos 70 / começo dos anos 80. Este ano tivemos um novo lançamento de estúdio, "Forevermore", ainda de boa qualidade mas não tão bom quanto o anterior. Após este lançamento, a banda caiu na estrada novamente e está a caminho de nossas terras.

Doug Aldrich e David Coverdale, os cérebros da formação atual
A banda atual consiste do "dono da banda" David Coverdale nos vocais, Doug Aldrich (já tocou com Dio) e Reb Beach (Winger) nas guitarras, Michael Devin no baixo e Brian Tichy (ex-Pride & Glory, já tocou com Billy Idol, Derek Sherinian, dentre outros) na bateria. Esta turnê ainda conta com Brian Ruedy nos teclados.

As datas da turnê sul-americana são as seguintes (as datas brasileiras estão em negrito):
10/09 - Arena Anhembi, São Paulo
11/09 - Citibank Hall, Rio de Janeiro
13/09 - Chevrolet Hall, Belo Horizonte
15/09 - Ginásio Nilson Nelson, Brasília
18/09 - Estádio do Racing, Buenos Aires
20/09 - Movistar Arena, Santiago
23/09 - Coliseo El Campin, Bogotá
25/09 - CCCT, Caracas

Vamos a um set list recente de um show do Whitesnake (Em parênteses o disco em que a música foi lançada; não me animei muito com este set list...):
1 - "Best Years" ("Good To Be Bad")
2 - "Give Me All Your Love" ("Whitesnake")
3 - "Love Ain't No Stranger" ("Slide It In")
4 - "Is This Love" ("Whitesnake")
5 - "Steal Your Heart Away" ("Forevermore")
6 - "Forevermore" ("Forevermore")
7 - Duelo de guitarras
8 - "Love Will Set You Free" ("Forevermore")
9 - Solo de bateria
10 - "The Deeper The Love" ("Slip Of The Tongue")
11 - "Fool For Your Loving" ("Ready an' Willing", regravada no "Slip Of The Tongue")
12 - "Here I Go Again" ("Saints And Sinners", regravada no "Whitesnake")
Bis:
13 - "Still Of The Night" ("Whitesnake")

Neste set list, senti falta de diversos clássicos: "Slow An' Easy", "Crying In The Rain", "Walking In The Shadow Of The Blues". Acho as duas baladas ("Is This Love" e "The Deeper The Love") dispensáveis ao vivo, tiram o espaço dos clássicos citados. Mas não dá pra confirmar que este será o set list, já que a banda entrará abrindo para o Judas Priest, talvez dê espaço a mais clássicos no lugar das novas canções (tomara...).

Alguns vídeos da atual turnê:
Steal Your Heart Away - ao vivo em New York:

Love Ain't No Stranger - ao vivo em Los Angeles:

Here I Go Again - ao vivo em Los Angeles:

Acompanhe as novidades do blog nas redes sociais: Twitter, Facebook, Tumblr. No próximo post, falaremos sobre a banda principal da turnê, o Judas Priest. Até lá!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...