Pesquisar neste blog:

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Rush na Apoteose - está chegando...

Está chegando o grande dia. O dia em que veremos um clássico absoluto do rock ser tocado na íntegra, pelos membros originais que o compuseram e gravaram. Aproxima-se o dia de um grande show, daqueles que não se pode nem de longe pensar em perder. Sim, daqui a 12 dias, o Rush estará se apresentando novamente para nós, roqueiros cariocas. Nós mesmos, a plateia daquele maravilhoso DVD gravado aqui (não importa que o show em São Paulo estava bem mais cheio...), "Rush In Rio". Finalmente um grandioso show de rock no Rio!!


O show faz parte da "Time Machine Tour", que já passou pelos EUA e Canadá, e agora, em outubro, passa pela América do Sul, com dois shows no Brasil (Rio e São Paulo), um na Argentina e um no Chile. O nome da turnê tem o seu sentido na apresentação, na íntegra, do disco "Moving Pictures", considerado talvez o melhor disco da carreira do Rush. Mas nem só de velharias é composto o repertório do show. O trio canadense resolveu adicionar duas novas músicas, de um futuro disco a ser gravado - "Clockwork Angels" - "Caravan" e "BU2B". Estas novas músicas já estão disponíveis (lá fora) para compra no iTunes e concorrentes. O site oficial disponibiliza uma pequena prévia destas faixas.

Bom, além de todo o "Moving Pictures" e destas novas músicas, o set list do show (eles não vem alterando o set list nos shows) está bem variado, com representantes de todas as fases da banda, desde o hard rock dos primeiros álbuns até a fase "progressista" - leia-se a fase em que os teclados tomaram conta. Clique aqui para conferir o set list da turnê comentado música a música.

E, claro, o solo de bateria está incluído. O solo de bateria costuma ser aquela hora chata do show em que você tem tempo de ir ao banheiro e/ou ao bar, mas não num show do Rush. Num show do Rush, o solo de bateria é talvez a parte mais esperada por muitos. De todos os virtuosos do instrumento, Neil Peart é talvez o mais idolatrado, o mais influente. Os motivos não faltam. Além dos fabulosos registros em disco, das apresentações soberbas ao vivo, o cara é simplesmente o letrista da banda. E não é qualquer letrista. Quem conhece a banda e seus discos, sabe que os temas de ficção e referências da literatura são um grande diferencial.

Além de Neil Peart, temos o multi-instrumentista Geddy Lee, baixista/tecladista/vocalista. Muita gente implica com a voz de Geddy, aquela voz esganiçada, mas ele é um grande cantor sim, e sua voz é marca forte e característica da banda. E como baixista e tecladista (muitas vezes ao mesmo tempo!), ninguém o questiona - ele é o tal mesmo!!

Completando o trio, temos o guitarrista Alex Lifeson. Talvez o patinho feio da banda, por não ser tão considerado quanto os outros dois, mas um grande guitarrista. Seu entrosamento com Geddy Lee é absurdo e eles tocam com uma alegria incrível. Provavelmente o motivo disto vem da amizade que os dois tem desde os tempos de escola.

Enfim, domingo, dia 10 de outubro, quem estiver presente presenciará mais um capítulo da história do rock, sendo escrito aqui em terras cariocas (são raros os capítulos escritos aqui...). Quem gosta de rock, não pode perder !!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...