Pesquisar neste blog:

quarta-feira, 6 de abril de 2011

John Fogerty - A Voz e Guitarra do Creedence a caminho do Brasil

Hoje estamos inaugurando um post conjunto (mash up, para ficar chique) com o amigo Ricardo do blog parceiro Song Remains The Same, sobre o grande cantor e compositor do Creedence Cleawater Revival, Jonh Fogerty, que se apresenta em breve, dia 06 de maio no Citibank Hall, Via Parque Shopping, show imperdível para esses dois blogueiros que lhes escrevem... então vamos lá falar sobre o cara.
 


Os brasileiros, desde o primeiro Rock in Rio, se acostumaram com os grandes nomes do rock no pais. Assim pudemos ver AC/DC, Iron Maiden, Queen, Ozzy Osbourne, Eric Clapton, Paul McCartney,  Rolling Stones, Bob Dylan, Deep Purple, Plant & Page, Neil Young, U2, Guns 'N' Roses, David Bowie, Elton John, Santana, Joe Cocker, Metallica, Whitesnake, Rush, Roger Waters, Jeff Beck (alguns desta lista mais de uma vez; às vezes, viraram até arroz de festa...). Pensando bem, é uma lista de grandes nomes do rock, cobrindo várias décadas...


Claro que sempre falta alguém por ver: David GilmourVan Halen, uma possível reunião do Black Sabbath original... mas John Fogerty, ex-líder do Creedence Clearwater Revival, a gente nunca achou que veria, tipo Lynyrd Skynyrd no Brasil (fica a dica...). Felizmente sonhos se realizam (não tão frequentemente como gostaríamos) e o cara da banda de southern rock, ou rock clássico mesmo, que rivalizou no top ten da Billboard com os Beatles está a caminho do Brasil (até hoje, o álbum do Creedence "Chronicle" está na posição 212  como um dos 300 discos mais vendidos do mundo, com a cifra de quase 12 milhões de cópias vendidas. Fonte: http://turso.terra.com.br/showthread.php?t=314982. Duas destas cópias são desses humildes escribas!). Apesar deles nunca terem conseguido um número 1, foram cinco números 2 que somente foram excedidos por Elvis e Madonna (com seis cada). Um feito impressionante!

Creedence em 1968, line up clássico: Tom Fogerty, Doug Clifford, Stu Cook e John Fogerty

Falar do Creedence, que conhecemos desde pequenos através de Rádio FM (antigamente nao tinha Internet...) é chover no molhado, aliás "Have You Ever Seen The Rain?"... Pois é, são sucessos e mais sucessos dos caras, "Proud Mary", "Suzie Q", "Green River", "Commotion" (Julho de 1969), "Down On The Corner", "Fortunate Son""Traveling Band", "Who'll Stop The Rain" (Outubro de 1969), , etc., com os quais nos familiarizamos através de uma coletânea definitiva chamada "Chronicle" (a mesma citada acima), com dois volumes (o primeiro é bem melhor), contendo, ainda, a versão integral do cover magistral de Marvin Gaye "I Heard It Through the Grapevine". Uma curiosidade sobre a banda é que pouca gente sabe que os caras foram uma das bandas principais de Woodstock, tocando depois do Grateful Dead. E  a banda reclamou que o Grateful ficou fazendo jam durante muito tempo e acabou atrasando o show do Creedence... Enfim, com tanto sucesso, turnês e discos gravados sem intervalos, a banda acabou estressando suas relações internas e começou a se desintegrar. Primeiro, Tom Fogerty, irmão de John, saiu da banda (em 1971, nas gravações de "Pendulum", após várias saídas temporárias anteriores por desgosto com o controle pessoal de John nos rumos da banda - fonte: Wikipedia). O processo de composição foi democratizado, permitindo aos outros integrantes contribuir. Mesmo assim, após dois discos sem tanto sucesso, a banda acabou. John partiu para carreira solo, assim como seu irmão, e os dois membros restantes, Stu Cook e Doug Clifford, acabaram revivendo a banda com turnês sob o nome de Creedence Clearwater Revisited. A carreira de John acabou sendo bem sucedida; já seu irmão não teve a mesma sorte, e pra piorar as coisas ele acabou contraindo AIDS numa transfusão de sangue, vindo a falecer em 1990 (na época, os irmãos não estavam se falando...).

A carreira solo de John Fogerty

John Fogerty ao vivo
A Rolling Stone (revista) lista o nosso homenageado do blog entre os 100  maiores guitarristas (nº 40) e na  lista dos 100 maiores cantores, na posição de nº 72.  As canções  "Proud Mary" e "Born on the Bayou" também ranqueadas nas maiores 'Pop songs' ("Proud Mary", #41) e 'Guitar song' ("Born on the Bayou", #53). John começou sua carreira (marcada por fases e paradas) sob o nome de Blue Ridge Rangers para seu álbum de estréia de 1973 onde ele tocou todos os instrumentos e gravou versões de hits tais como "Jambalaya" (que entrou nos Top 40 hits). Depois, já com o seu nome mesmo, em 1975, o disco homônimo do cantor e compositor  principal do Creedence teve fracas vendas, mas deixou dois hits (que até hoje são tocados em seus shows), "Rockin' All Over The World", posteriormente gravado com muito mais sucesso pelo Status Quo, e "Almost Saturday Night", gravada por Dave Edmunds. Tais composições, de características semelhantes às músicas do Creedence (e poderia ser diferente), foram o motivo do ex-empresário do CCR, junto aos ex-integrantes restantes, processar John, por suposto plágio(!), o que o levou a uma parada até 1985.


O álbum "Centerfield", de 1985

O wiki diz lá que "a carreira solo de Fogerty emergiu com força total em 1985 com Centerfield (música que toca no site do cara na jukebox virtual), que foi para o topo das paradas e incluiu um Top Ten hit com "The Old Man Down The Road" e a faixa-título frequentemente tocada em rádios classic rock e em jogos de baseball. Mas este álbum não saiu imune de controvérsias judiciais também; duas canções neste álbum, "Zanz Can't Dance" e "Mr. Greed" foram supostos ataques de Fogerty para com seu ex-chefe na gravadora Fantasy Records, Saul Zaentz. Quando Zaentz respondeu com um processo, Fogerty lançou uma versão revisada de "Zanz Can't Dance" (alterando o nome do personagem na música para Vanz). Outro processo afirmava que "The Old Man Down The Road" partilhava do mesmo refrão de "Run Through The Jungle" (canção de Fogerty dos tempos do Creedence). Fogerty definitivamanete ganhou a causa quando ele provou que as canções eram composições distintas. Levando seu violão para junto às testemunhas, ele tocou trechos de ambas as canções, demonstrando que muitos compositores (incluído ele mesmo) têm estilos distintos que podem fazer diferentes composições soarem parecidas para pessoas com ouvidos menos treinados para notar as diferenças."

Lançou outro em álbum em 1986, deixou de tocar com os seus ex-companheiros de banda no Hall Of Fame, quando do ingresso da banda em 1993 (http://rockhall.com/inductees/creedence-clearwater-revival), Fogerty recrutou  músicos de estúdio e juntou-se a Bruce Springsteen e Robbie Robertson (ex-The Band, que teve problemas parecidos na sua banda) nos brindando com três canções (vista no sensacional dvd-box 'Rock and Roll Hall Of Fame': "Who'll Stop The Rain", "Born On The Bayou" and "Green River". Durante o discurso de indução da banda, Springsteen  disse: "As a songwriter, only a few did as much in three minutes [as John Fogerty]. He was an Old Testament, shaggy-haired prophet, a fatalist. Funny too. He was severe, he was precise, he said what he had to say and he got out of there.", nem precisa traduzir... O "profeta das músicas de três minutos" voltou em 1997, fazendo em 1998 o  disco ao vivo que o blog já escutou ("Premonition"), muito bom por sinal.

Premonition

Nos falados DVDs do Hall Of Fame, John aparece como arroz de festa (o que ao menos mostra que é querido), só perdendo para Robbie Robertson do The Band, tocando com vários amigos, dentre eles,  Bruce Springsteen, Neil Young, Joan Jett, Jonh Mellencamp, e Billy Joel (veja lá embaixo os vídeos)...

Apoiou, ainda, Jonh Kerry na corrida presidencial contra G. W. Bush, que infelizmente não rolou...teve disco indicado ao Grammy (Revival de 2007), voltou a gravar e se apresentar com mais intensidade, e nos brinda agora com a sua primeira vinda ao Brasil, apesar de já termos visto por essas paragens seus ex-companheiros (menos Tom, é claro) com o meia-bomba Creedence Cleawater Revisited.


O que podemos esperar dos shows aqui no Brasil? Muitos sucessos do Creedence!! As últimas apresentações de Fogerty estão repletas dos sucessos de sua ex-banda, recheados por canções de sua carreira solo e covers inusitados. Veja um set list de uma apresentação do último show dele lá fora (um festival no Japão, meio do ano passado). De respeito o repertório!

1 - Hey Tonight
2 - Green River
3 - Lookin' Out My Back Door
4 - Wrote A Song For Everyone
5 - Born On The Bayou
6 - Ramble Tamble
7 - Midnight Special
8 - Oh Pretty Woman (Roy Orbison cover)
9 - Hot Rod Heart
10 - Big Train (From Memphis)
11 - Keep On Chooglin'
12 - Down On The Corner
13 - Centerfield
14 - Bad Moon Rising
15 - Fortunate Son
16 - Good Golly Miss Molly (Little Richard cover)
17 - Up Around The Bend
18 - Proud Mary

Os blogueiros gostaram do repertório, mas sentiram falta de "I Heard It Through The Grapevine". Mas nada é perfeito... Bom, vemos vocês no Citibank Hall. Rock on !!

Blog The Song Remains The Samehttp://songremainsthesame-rigreja.blogspot.com/
Blog Ripando a História do Rockhttp://ripandohistoriarock.blogspot.com/

Vídeos:
Creedence ao vivo em Woodstock, tocando "Born On The Bayou":

John Fogerty ao vivo, tocando "Centerfield":

John Fogerty e Bruce Springsteen ao vivo, tocando "Pretty Woman":

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...