Pesquisar neste blog:

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Glenn Hughes - Resonate

The voice of rock is back!! Depois de oito anos, Glenn Hughes retoma sua carreira solo e lança um álbum de estúdio (o último tinha sido "First Underground Nuclear Kitchen", lançado em 2008). Glenn já vinha excursionando solo e agora manda ver com um grande álbum que iremos dissecar aqui, agora!

Em 2008, Glenn Hughes lançava seu último álbum de estúdio, "First Underground Nuclear Kitchen". Após a turnê, Glenn resolveu montar um supergrupo ao lado de Joe Bonamassa, Jason Bonham e Derek Sherinian. Era o Black Country Communion, que consumiu os próximos anos de Hughes. No final de 2012, as relações azedaram e a banda entrou em um hiato. Glenn resolveu montar outra banda (ainda ao lado de Jason), o California Breed, que também não durou muito: lançou apenas um álbum. Com o insucesso destes supergrupos e a grande vontade de Glenn de tocar ao vivo, ele reativou sua carreira solo. Primeiro, uma turnê com Doug Aldrich na guitarra (turnê que passou no Brasil - confira a resenha para o show no Teatro Odisseia, RJ). Apesar de ter feito as pazes com Joe Bonamassa, Glenn Hughes sabe que precisa manter sua carreira solo ativa, e um álbum de estúdio ajudaria.

E que lugar melhor para gravar o álbum senão no estúdio de seu guitarrista, Soren Andersen? Localizado em Copenhague, na Dinamarca, os estúdios Medley foram a escolha para a gravação deste 14º álbum de estúdio da carreira solo de Hughes. Além do já citado guitarrista dinamarquês Soren Andersen (que também produziu o disco ao lado de Glenn), realizaram a gravação os seguintes músicos: o sueco Pontus Egborg na bateria; Chad Smith também na bateria (nas faixas "Heavy" e "Long Time Gone"); o australiano Lachy Doley no órgão e teclados (Doley já tocou com Steve Vai e Jimmy Barnes).

Foto retirada do encarte do novo álbum
O álbum apresenta nosso grande baixista/vocalista inspirado, cantando muito (e tocando seu baixo como poucos também, vale citar). Dos grandes cantores do classic rock dos anos 70, Hughes é o que está cantando melhor atualmente - praticamente tão bem quanto antigamente. E ele anda inspirado nas composições, sempre encorpadas, com uma pegada pesada sem, no entanto, cair em estereótipos heavy metal. Confira o peso de canções como a abertura com "Heavy" (com Chad Smith podendo se soltar como não faz mais em sua banda original...), "Flow" e "Stumble & Go". Mas o disco não se resume a canções pesadas. Nada disso. Temos melodias cativantes e refrões pegajosos - confira as canções "Let It Shine", "How Long" e "Long Time Gone" (outra com Chad Smith descendo a mão). Temos levadas clássicas, como a canção "Steady", que traz aquele órgão inspirado em Jon Lord. Temos suingue na canção "Landmines". Temos uma linda balada com a canção "When I Fall". E pra quem comprar o CD, temos uma linda canção acústica, "Nothing's The Same", como presente.

O álbum tem recebido resenhas muito boas mundo afora, provando que nosso voice of rock continua com tudo. Ele não fica parado, não senhor: neste mês de janeiro, ele gravou o quarto álbum de estúdio do Black Country Communion, com lançamento previsto para maio deste ano. E já está com turnê solo marcada para este e o próximo mês, no Reino Unido e na Europa. Qual será a próxima parada de Glenn Hughes? Quem sabe uma turnê com o BCC; ou a continuação da turnê solo pelos EUA e, quem sabe, América do Sul. Com o sucesso das duas últimas turnês, em 2015 e 2016, ele é sempre bem-vindo por aqui. Longa vida a este senhor, the voice of rock!!

Relação das músicas:
1 - "Heavy"
2 - "My Town"
3 - "Flow"
4 - "Let It Shine"
5 - "Steady"
6 - "God Of Money"
7 - "How Long"
8 - "When I Fall"
9 - "Landmines"
10 - "Stumble & Go"
11 - "Long Time Gone"
12 - "Nothing's The Same" (faixa bônus no CD)

Alguns vídeos:
"Heavy":


"My Town":


"Let It Shine":


"Long Time Gone":

Um abraço rock and roll e até a próxima resenha!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...