Pesquisar neste blog:

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Blues Pills - Lady In Gold

Vamos falar sobre o mais recente álbum dos Blues Pills, "Lady In Gold", lançado em agosto deste ano e marcando uma evolução musical desta banda revelação do rock europeu, reafirmando o talento de sua grande vocalista, Elin Larsson.

Dois anos depois do álbum de estreia (confira a resenha aqui), os Blues Pills estão de volta com um novo disco de estúdio, lançado pela mesma gravadora, Nuclear Blast. Como o post do disco anterior já falava, a banda trocou de baterista: saiu o norte-americano Cory Berry e entrou o sueco André Kvarnström. Desta vez, o novo álbum foi lançado logo no Brasil, em uma edição especial, incluindo um DVD com uma apresentação da banda em Berlim, Alemanha.

Foto da banda no encarte do novo álbum
Musicalmente, este novo disco representa uma certa ruptura com a sonoridade praticada no álbum anterior. Aqui, a banda resolveu ampliar os horizontes, dar mais espaço para piano/órgão, e abrir as portas para influências soul, que transbordam. Até mesmo adicionaram um quarteto de backing vocals, o Voodoo Choir. Com esta mudança, o blues rock não está mais tão forte. Não, ele não desapareceu, mas muita gente, Internet afora, reclamou da mudança. Queriam que a banda continuasse a pisar firme e forte no terreno explorado no disco anterior. Então o novo disco é ruim? Não! Muito pelo contrário. As composições estão mais maduras, os arranjos mais elaborados, se bem que sim, eu senti um pouco a falta da guitarra do pequeno prodígio francês Dorian Sorriaux. Mas ele está presente, sim, fez um bom trabalho; só não está tão dominante, como no primeiro trabalho da banda.

As canções, segundo o encarte, foram um esforço de criação de todo o grupo, com as letras tendo sido escritas pela vocalista Elin Larsson e pelo baixista Zach Anderson. As composições se destacam logo de cara, como a faixa-título e "Little Boy Preacher". O blues rock diz presente em momentos como "Burned Out", mas se mostra totalmente ausente logo a seguir, para permitir o brilho da estrela maior, piano e voz, em "I Felt A Change", uma composição totalmente dela, Elin, que arrasa nesta linda canção, a melhor do disco para este blogueiro. Um quê de nostalgia tomou conta de mim, fazendo algum tipo de associação entre esta faixa e o clássico "Changes", do Black Sabbath. Quem sabe o prelúdio de uma futura carreira solo para Elin...

Contracapa do álbum, em sua edição limitada e especial, com um DVD extra
Outras canções de destaque neste belo álbum são: "Gone So Long" e seu clima sereno que acaba crescendo na voz de Larsson; "You Gotta Try" e "Won't Go Back", que ganham por trazer mais elementos do (sumido) blues rock tão querido. Encerrando o álbum, uma cover interessante porém desconhecida: "Elements And Things", de Tony Joe White, um músico norte-americano pouco famoso dos anos 60/70 - a época onde a banda geralmente vai buscar suas influências. Fim do álbum: 41 minutos de qualidade que nos dizem que os Blues Pills terão força para crescer ainda mais, graças a este belo álbum. Não fique na primeira impressão de uma simples audição no YouTube. Dê uma chance a este belo trabalho, e escute-o do começo ao fim. Garanto que você não se arrependerá!

Relação de músicas:
1 - "Lady In Gold"
2 - "Little Boy Preacher"
3 - "Burned Out"
4 - "I Felt A Change"
5 - "Gone So Long"
6 - "Bad Talkers"
7 - "You Gotta Try"
8 - "Won't Go Back"
9 - "Rejection"
10 - "Elements And Things" (cover de Tony Joe White)

Alguns vídeos:
"Lady In Gold":


"Little Boy Preacher":


"I Felt A Change":


Um abraço rock and roll e até a próxima resenha!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...