Pesquisar neste blog:

terça-feira, 26 de julho de 2016

Lamb Of God - Sacrament

Vamos falar sobre um grande álbum do Lamb Of God, que completa dez anos de lançamento em agosto de 2016. Trata-se de "Sacrament", um dos discos mais poderosos da discografia da banda, e que rendeu a primeira indicação ao Grammy para o grupo. Vamos lá!

Em 2006, O Lamb Of God vinha de uma boa sequência de acontecimentos: sucesso de público e crítica para seu álbum "Ashes Of The Wake", primeiro disco por uma grande gravadora (Epic), que conseguiu entrar no Top 40; lançamento de seu segundo DVD, "Killadelphia" (ambos já certificados com disco de ouro nos EUA). Entretanto, a banda não ficou parada, curtindo os bons resultados. Entrou em estúdio e gravou um de seus álbuns mais poderosos até então. E que aumentaria bastante seu público, alcançando resultados ainda maiores que os já citados acima.

Foto promocional do Lamb Of God de 2006
O álbum tem um começo arrasador: canções como "Walk With Me In Hell", "Again We Rise", "Redneck" e "Pathetic" não deixam pedra sobre pedra, entregando um ataque devastador, faixas guiadas por uma qualidade técnica absurda, riffs com precisão cirúrgica que te envolvem, solos supersônicos, vocais rasgados e irados com a cozinha lá atrás descendo a lenha sem piedade. Além da precisão técnica, louve-se o entrosamento da banda, que a esta altura já estava em atividade fazia uma década, incluindo o tempo em que se chamavam Burn The Priest. Mas o álbum não se trata apenas de agressividade e velocidade. A banda começava a mostrar sinais de que seu processo de composição estava evoluindo, e os primeiros sinais já apareciam neste registro, em especial com as canções "Descending", "Blacken The Cursed Sun", "Requiem" e "More Time To Kill".

É nesta mistura bem azeitada que o disco foi construído: muito peso, velocidade máxima, bateria insana e guitarras afiadas cuspindo riffs aos montes, combinados com canções ora aceleradas, ora cadenciadas, composições cheias de nuances técnicas, quebras de tempo e pontes cheias de influência dos maiores nomes do metal, como Slayer e Pantera, formando uma unidade que merece ser escutada do início ao fim, sem dispensar um headbanging e algum pogo no meio da sala - procure não quebrar os móveis. Até então, na carreira do Lamb Of God, este era sem dúvida o ponto mais alto para eles.

O álbum conseguiu o primeiro Top 10 para o Lamb Of God: oitava posição na parada norte-americana, e também a primeira indicação ao Grammy, pela canção "Redneck" (eles perderiam para o Slayer; até os dias de hoje, já foram cinco indicações, nenhuma vitória até agora). Para sentir a importância deste álbum, podemos citar que "Walk With Me In Hell" e a já citada "Redneck" estão entre as cinco músicas mais tocadas ao vivo pela banda (fonte: setlist.fm). Depois deste passo gigantesco na carreira, a banda teria que evoluir ainda mais para o próximo álbum. E a evolução veio com "Wrath", outro grande passo da banda. Uma história a ser contada em outro post!

Relação de músicas:
1 - "Walk With Me In Hell"
2 - "Again We Rise"
3 - "Redneck"
4 - "Pathetic"
5 - "Foot To The Throat"
6 - "Descending"
7 - "Blacken The Cursed Sun"
8 - "Forgotten (Lost Angels)"
9 - "Requiem"
10 - "More Time To Kill"
11 - "Beating On Death's Door"

Alguns vídeos:
"Walk With Me In Hell":


"Redneck":


"Blacken The Cursed Sun":


Um abraço rock and roll e até a próxima resenha!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...