Pesquisar neste blog:

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

David Gilmour - Rattle That Lock

David Gilmour, o eterno guitarrista do Pink Floyd, saiu de sua reclusão (quase dez anos desde o último disco) e lançou um novo álbum de estúdio, "Rattle That Lock", uma coleção deliciosa de canções que viu a luz do dia em setembro deste ano. E com este lançamento, uma turnê que já começou e vai passar pelo Brasil!

Após o excelente álbum "On A Island", lançado em março de 2006, David Gilmour excursionou durante alguns meses (incluindo os shows no Royal Albert Hall, em Londres, que deram origem ao DVD "Remember That Night"), e foi descansar da música. Apareceu uma ou outra vez, desde então. A mais importante dessas aparições foi uma pequena apresentação beneficente ao lado de seu ex-desafeto Roger Waters. E uma participação em um show da turnê "The Wall" de Roger, cantando e tocando o clássico "Comfortably Numb" lá do alto do muro (sim, a mesma turnê que passou pelo Brasil em 2012). Durante o ano passado e este ano, algumas dicas foram sendo lançadas nas redes sociais por parceiros de Gilmour, informando que um novo álbum estava a caminho. Antes disso, entretanto, o guitarrista trabalhou no álbum "The Endless River", ao lado de Nick Mason. Um álbum tributo ao falecido tecladista do Pink Floyd, Richard Wright.

Gilmour voltou a se juntar com praticamente os mesmos músicos que gravaram o álbum anterior com ele: Jon Carin no piano; David Crosby e Graham Nash nos backing vocals; Steve DiStanislao na bateria; Phil Manzanera nos teclados e produção; Guy Pratt no baixo (em muitas faixas, o próprio Gilmour tocou baixo); e a esposa Polly Samson, que escreveu diversas letras e também fez backing vocals em algumas faixas. Resumindo, uma equipe de feras musicais, que trabalha com ele desde a época do Pink Floyd. E este time de feras conseguiu repetir o feito e produziu mais um grande álbum, outro sucesso para o mestre David Gilmour: topo da parada britânica e quinto lugar na parada norte-americana - melhor posição de Gilmour nos EUA.

Imagem promocional feita para o lançamento do álbum

A instrumental "5 A.M." abre monumentalmente o disco, com aquela suavidade e delicadeza deliciosas, uma serenidade que te acalma e te relaxa ao som das notas da guitarra de Gilmour. A seguir, temos o primeiro single do disco, a faixa-título, com uma boa pegada pop, se valendo de um jingle da companhia de trens da França (fonte: Wikipedia). Com a qualidade que veremos a seguir, esta faixa parece até fraquinha, mas no solo David te ganhará, com certeza. Já em "Faces Of Stone", uma das melhores do disco, você já sente o impacto de qualidade e o nível altíssimo de composição. Seu começo chega a me lembrar do clássico floydiano "Hey You". Os solos continuam belíssimos, como é de costume no trabalho deste mestre das seis cordas. "A Boat Lies Waiting" traz um sample da voz do amigo e ex-companheiro de banda Richard Wright, junto com um trabalho vocal de primeira, com a participação das lendas David Crosby e Graham Nash (sim, eles mesmos, do grupo Crosby, Stills & Nash), outra canção para você se deliciar ouvindo. "Dancing Right In Front Of Me" traz uma pegada meio cabaré, meio jazz, com a guitarra de Gilmour fraseando pela música, e outro grande solo. A pegada jazz voltará daqui a pouco.

"In Any Tongue" começa com a voz de Gilmour se impondo, em um tom mais soturno, e o refrão imponente te conquista completamente, em outra grande canção deste álbum. Nem vou falar do solo pra não ficar repetitivo... "Beauty" é mais uma instrumental com toques de suavidade e delicadeza que só Gilmour pode fazer. "The Girl In The Yellow Dress" traz de volta a pegada jazz, mas de uma forma única, graças à forma como David canta. "Today" foi o segundo single do disco, e segue mais ou menos a mesma pegada da faixa-título: levada mais pop, e apesar de não ser uma canção ruim, acaba sendo ofuscada pelas outras composições, de altíssimo nível. Pra fechar, assim como começou, uma música instrumental maravilhosa, "And Then...", para encerrar o álbum com o mesmo nível de excelência do começo.

David Gilmour conseguiu novamente: este é apenas seu quarto álbum solo; entretanto, trata-se de uma pérola, uma coleção fantástica de composições que conquista a tua atenção do começo ao fim, numa deliciosa viagem sonora de 52 minutos. Nota dez para o mestre!

Relação de músicas:
1 - "5 A.M."
2 - "Rattle That Lock"
3 - "Faces Of Stone"
4 - "A Boat Lies Waiting"
5 - "Dancing Right In Front Of Me"
6 - "In Any Tongue"
7 - "Beauty"
8 - "The Girl In The Yellow Dress"
9 - "Today"
10 - "And Then..."

Alguns vídeos:
Vídeo clipe de "Rattle That Lock":


Vídeo clipe de "Faces Of Stone":


Vídeo clipe de "The Girl In The Yellow Dress":


Vídeo clipe de "Today":

Um abraço rock and roll e até a próxima resenha!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...