Pesquisar neste blog:

terça-feira, 10 de março de 2015

Steve Hackett no Citibank Hall - como foi o show

Este post vai falar rapidamente sobre o show de Steve Hackett no Citibank Hall, Rio de Janeiro. Ele tocou por pouco mais de duas horas um repertório totalmente dedicado a sua ex-banda, o Genesis, levando a plateia ao delírio em diversos momentos. Uma plateia bem envelhecida, e que não lotou, mas compareceu em bom número para prestigiar o guitarrista.

A casa abriu uma hora e meia antes do horário previsto para o começo do show. E só foi encher mesmo a poucos minutos, típico do carioca, chegar em cima da hora nos eventos. No final das contas, o público foi mediano, já que a casa já havia colocado cadeiras em um espaço reduzido, e havia cadeiras vazias. Enfim, encher uma casa com o público roqueiro do Rio de Janeiro é um drama mesmo, e com a pouca divulgação que o evento teve, acabou tendo um público bom.

Steve Hackett e sua banda em ação
Por volta das 20:20, as luzes se apagaram e uma introdução musical começou, e os membros da banda de Steve Hackett adentraram o palco. Era o início de uma viagem de volta ao passado, começo e meio dos anos 70. Digna de citação, a banda de Hackett é muito talentosa e agradou muito. A banda é formada por Roger King nos teclados; Gary O'Toole na bateria (um dos destaques da banda, destruiu na bateria e ainda cantou algumas canções); Lee Palmeroy no baixo; Rob Townsend na flauta, sax e teclados; e Nad Sylvan nos vocais (excelente cantor, timbre que lembra um pouco Peter Gabriel). Todos executaram as passagens dos clássicos do Genesis com extrema competência, e se mostraram muito bem entrosados, já que esta banda vem tocando o repertório desde 2012, quando Hackett lançou o disco "Genesis Revisited II".

Steve Hackett, o tecladista Roger King e o vocalista Nad Sylvan
Após a execução da primeira canção, Hackett arriscou algumas palavras em português e anunciou a próxima canção, "Squonk". Antes de "Dancing With The Moonlit Knight", ele perguntou se a plateia queria cantar a canção. Nosso querido guitarrista escolheu arranjos bem próximos das gravações originais, privilegiando sua guitarra, claro. Depois de duas canções do álbum "The Lamb Lies Down On Broadway", começou a melhor sequência do show, uma viagem ao ano de 1971 com três canções do álbum "Nursery Crime", recebidas com grande entusiasmo pelo público, que chegou a aplaudir de pé ao fim de cada música. Outro momento intenso do show foi quando Steve ficou sozinho no palco, ele e seu violão, para executar "Horizons" (linda canção acústica do álbum "Foxtrot"). O final do show se deu com "The Knife" (do álbum "Trespass", um disco que Hackett nem gravou com o Genesis, mas tem sido incluída nesta turnê) e a suíte "Supper's Ready", executada na íntegra para delírio dos presentes. No bis, a banda entrou com tudo no clássico "Watcher Of The Skies" (outra que empolgou bastante) e finalizou com uma versão acelerada de "Los Endos", canção que fecha também o álbum "A Trick Of The Tail". Excelência musical de Steve Hackett e toda a sua banda, muita simpatia dele, num show que vai ficar nas melhores lembranças dos presentes por longos anos. Espero que Hackett tenha gostado da reação do público e retorne em breve. O pequeno porém fiel público roqueiro carioca irá recebê-lo de braços abertos novamente!

Set list do show:
"Dance On A Volcano"
"Squonk"
"Dancing With The Moonlit Knight"
"Fly On A Windshield"
"Broadway Melody Of 1974"
"The Return Of The Giant Hogweed"
"The Fountain Of Salmacis"
"The Musical Box"
"I Know What I Like (In Your Wardrobe)"
"Horizons"
"Firth Of Fifth"
"Lilywhite Lilith"
"The Knife"
"Supper's Ready"
Bis:
"Watcher Of The Skies"
"Los Endos"

Alguns vídeos:
"Dancing With The Moonlit Knight":


"The Return Of The Giant Hogweed":


"The Fountain Of Salmacis":


Um abraço rock and roll e até a próxima resenha!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...