Pesquisar neste blog:

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Os Melhores de 2014

O ano de 2014 me viu um pouco enrolado para publicar frequentemente no blog. Mesmo assim, acompanhei os principais lançamentos e agora vou enumerar o meu Top 5, cinco melhores álbuns lançados e os cinco melhores shows (dos que eu estive presente, claro). Vamos lá!


Primeiro, os melhores discos (estão por ordem cronológica de lançamento):

Overkill - "White Devil Armory" - uma pancada forte e impiedosa, thrash metal altamente bem tocado do início ao fim. Estas foram minhas palavras ao descrever este grande álbum do Overkill, 17º na sua carreira, e que alcançou a mais alta posição na parada norte-americana para a banda: 31º lugar. As bandas de thrash das antigas estão na ativa e lançando grandes discos, e este é mais um deles. Confira a resenha do álbum aqui.

Joe Bonamassa - "Different Shades Of Blue" - Bonamassa resolveu gravar um álbum de composições próprias, mantendo o grande time que sempre o cerca: o produtor Kevin Shirley, os músicos Anton Fig, Carmine Rojas, Lenny Castro, Reese Wynans, dentre outros. O resultado foi mais um grande álbum deste guitarrista, o mais completo da atualidade. O disco repetiu os últimos seis e estreou no topo da parada de blues, e ainda conseguiu a façanha de entrar no Top 10 da parada Billboard. Mais um ano se passou e Joe Bonamassa continua entrando no meu Top 5, impressionante! Confira a resenha deste discaço neste link.

Exodus - "Blood In, Blood Out" - este ano ficou marcado como ano de grandes mudanças para o Exodus. A banda resolveu demitir o vocalista Rob Dukes e trazer de volta Steve "Zetro" Souza, o vocalista que conduziu a banda durante boa parte da década de 80. Houve uma mudança de estilo também, com a banda desistindo um pouco das longas canções que estava privilegiando nos últimos dois álbuns, retornando ao thrash metal mais tradicional. O resultado ficou muito bom, e provou que a banda ainda tem muito a nos presentear. O álbum também conseguiu a proeza de alcançar a posição mais alta da parada norte-americana para a banda: 38º lugar. Confira também na parte de shows, mais abaixo, a grande apresentação que o grupo fez por aqui. Para mais detalhes sobre este álbum, confira neste link aqui.

Slipknot - ".5: The Gray Chapter" - o Slipknot passou por muitos problemas até chegar a este novo álbum: a morte de Paul Gray, a demissão de Joey Jordison, problemas de relacionamento dos membros (Jim Root foi demitido do Stone Sour, banda que também conta com Corey Taylor)... Aparentemente, tudo ficou para trás e o grupo conseguiu focar no estúdio e gravar um grande álbum, mostrando amadurecimento e evolução em sua sonoridade. Combinando boas melodias com a tradicional agressividade da banda, o álbum tem grandes canções que prometem sacudir os shows da banda, que já está em turnê. O disco também conseguiu repetir o feito do anterior e chegou ao topo da parada. Confira a resenha deste álbum neste link.

Machine Head - "Bloodstone & Diamonds" - o Machine Head conseguiu novamente. O blog só foi criado em 2010, mas se tivesse vida em 2007 provavelmente teria considerado "The Blackening" o melhor lançamento do ano. Em 2011, o blog já existia e resenhou "Unto The Locust", considerando o álbum um dos melhores daquele ano. E este ano, novamente, aqui estamos incluindo o novo álbum do grupo na lista de melhores. Na verdade, o melhor álbum de 2014, com excelentes composições, arranjos grandiosos e ousados que definem um novo patamar de qualidade na carreira da banda. Recomendo muito este álbum, ele te conquista completamente em poucas audições. Confira a resenha para este grande álbum aqui.


Agora, os melhores shows:
(todas as fotos abaixo foram tiradas por mim, exceto a foto do show do Uriah Heep
retirada do evento do show criado no Facebook)

Uli Jon Roth - Teatro Rival - o ex-guitarrista dos Scorpions trouxe uma turnê dedicada ao repertório de sua ex-banda e agradou muito ao público carioca. No final, ainda homenageou Jimi Hendrix, o que aumentou o impacto de sua apresentação. A casa de shows escolhida, Teatro Rival, acabou tornando o show mais intimista e interessante. Que Uli Jon Roth retorne mais vezes ao Brasil e, especialmente, ao Rio de Janeiro. Saiba mais sobre este show aqui.


Focus - Teatro Rival - este show me surpreendeu pela total desenvoltura da banda no palco, em especial do grande Thijs Van Leer, e pela empolgação do público por canções, na sua maioria, instrumentais. Uma banda entrosada, um mestre de cerimônias que soube conduzir toda a apresentação muito bem e um final apoteótico com o clássico "Hocus Pocus". Com certeza um show muito marcante desses holandeses aqui em nossas terras. Veja mais detalhes deste show neste link.

Uriah Heep - Teatro Rival - novamente tendo o Teatro Rival como palco, mais um grande show de um ícone do rock dos anos 70. Dessa vez, a banda foi o Uriah Heep, que se apresentou no final de maio (21/05) aqui no Rio de Janeiro, depois de muitos anos de ausência por aqui (oito anos desde o show no Canecão, em 2006). O repertório viajou por quatro décadas de carreira, mas teve seus pontos altos nos grandes clássicos dos anos 70: "Gypsy"; "July Morning"; a acústica "Lady In Black", cantada a plenos pulmões por todos os presentes; "Free 'N' Easy", o proto heavy metal que a banda fez em 1977, chamando ao palco um monte de garotas; e o clássico maior "Easy Livin'", pra fechar com chave de ouro. Um puta show que deixou a galera extasiada e com um sentimento de quero mais. Que a banda volte sempre ao Rio de Janeiro e não demore tanto quanto demorou desta vez. Os cariocas merecem esta aula de rock!

Hatebreed e Napalm Death - Circo Voador - esta dupla de bandas trouxe sua turnê ao Brasil no final de setembro, e eu estava muito mais interessado em ver o Napalm Death, banda clássica das antigas que nunca tinha conseguido ver ao vivo. Matei minha vontade, fiquei impressionado com o impacto musical que esses britânicos me causaram, mas não me decepcionei nem um pouco com o grande show que o Hatebreed fez também. No final das contas, dois grandes shows, uma noite de primeira para a música extrema no Circo Voador. Veja minha resenha completa sobre esses shows neste link.

Exodus - Circo Voador - o melhor show do ano acabou ficando para o final. Aproveitando o retorno de Steve Souza como vocalista, o Exodus fez uma mini-turnê pela América do Sul, com quatro shows pelo Brasil (Belém, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro), culminando com o último show no nosso país acontecendo no Circo Voador, um grande palco que vibrou intensamente com a apresentação bombástica e sensacional que a banda fez por aqui. Dos três shows que eu vi da banda (sendo um deles em 1998, no Garage, ainda com Paul Baloff nos vocais), este foi o mais impactante e forte, com certeza. Uma aula de thrash metal em todos os sentidos; que se repita mais vezes aqui, é a minha esperança! (confira aqui a resenha completa deste show)

Cheguei ao fim, este foi meu Top 5 de lançamentos e de shows. Espero que tenham gostado. Se discordaram, não importa, deixem nos comentários suas preferências. Ano que vem tem muito mais rock pela frente, tem Rock In Rio (com System of a Down já confirmado) e muita expectativa de grandes shows. Espero ter grana para ir a todos!! Um grande abraço rock and roll a todos os que seguem o blog, boas festas e um ano novo repleto de shows de nossas bandas preferidas, esse é o nosso desejo - até 2015!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...