Pesquisar neste blog:

quinta-feira, 1 de março de 2012

Roger Waters - The Wall vem aí!

Este post vai falar um pouco sobre o que esperar do show vindouro de Roger Waters, onde ele tocará na íntegra o clássico álbum "The Wall". Lembrando que Roger se apresentará no Brasil no fim do mês de março/começo de abril: dia 25/03, em Porto Alegre (no Estádio Beira-Rio); dia 29/03, no Rio de Janeiro (no Estádio Engenhão); e dias 01 e 03/04, em São Paulo (no Estádio do Morumbi).

O disco "The Wall", um álbum conceitual também chamado de ópera rock por muitos, foi lançado em novembro de 1979, um disco duplo com o conceito girando em torno de um rock star chamado Pink - há quem diga que este personagem seria baseado talvez em Syd Barret, mais provavelmente no próprio Waters. O disco percorre toda a história do personagem, desde sua infância, com os abusos de professores, sua mãe excessivamente protetora, problemas de relacionamento e vai culminando com a construção de um muro que isola o personagem do convívio com a sua família e a sociedade. O disco foi quase que totalmente composto por Roger Waters, com participações de David Gilmour em algumas canções ("Young Lust""Comfortably Numb" e "Run Like Hell"). A produção ficou a cargo de Bob Ezrin (trabalhou com Alice CooperAerosmith Kiss antes), com Waters e Gilmour co-produzindo ao lado de James Guthrie (participaria da produção de diversos álbuns do Floyd posteriormente).

A capa do disco, lançado no final de 1979
Durante as gravações, o tecladista Richard Wright saiu da banda, retornando para a turnê como músico contratado (vejam como estava mandão Waters na época...). Apesar dos conflitos internos já serem bastante evidentes, o disco foi um sucesso estrondoso: alcançou o topo da parada americana (e o topo de muitas outras paradas pelo mundo afora) e vendeu mais de 11 milhões de cópias - um grande feito para um álbum duplo.

O projeto evoluiu com a ideia de se fazer também um filme. Ele foi lançado em 1982, e foi chamado "Pink Floyd - The Wall", totalmente baseado na história e na música do disco, um filme que foi dirigido por Alan Parker (àquela altura ele já tinha dirigido "Fama" e "O Expresso da Meia-Noite". Posteriormente, também seria conhecido por dirigir "Coração Satânico""Mississipi em Chamas" e outro filme musical, "The Commitments") e roteirizado pelo próprio Waters - segundo a Wikipedia, a ideia era lançar um filme com filmagens da turnê, mas a ideia acabou evoluindo para a história contada no disco. Para o papel de Pink, foi escalado o cantor/ator Bob Geldof (depois acabaria conhecido também por seu ativismo e organização dos grandes festivais Live Aid e Live 8) - Waters queria este papel mas acabou não acontecendo. O filme se utiliza de animações do artista Gerald Scarfe, especialmente na canção "Goodbye Blue Sky". O filme rivaliza com um outro, "Tommy", na preferência dos roqueiros como o melhor filme rock and roll (tá aí uma boa ideia de Top 10 - filmes ligados ao rock!).
Roger Waters se apresentando na turnê
O Pink Floyd original ainda duraria mais um disco ("The Final Cut"), e depois entraria em uma grande disputa nos tribunais pelo direito de uso do nome. Gilmour acabou ganhando e lançou mais dois álbuns de estúdio (o mediano "A Momentary Lapse Of Reason" e o excelente "The Division Bell"). Waters seguiu uma carreira solo de discos medianos e bons, sem o mesmo brilhantismo do Floyd. Os pontos altos de Waters acabaram sendo as turnês cobrindo o material do Pink Floyd, como o excelente DVD "In The Flesh - Live".

Depois de nos presentear com a íntegra do fantástico "Dark Side Of The Moon", uma turnê que varreu o planeta entre 2006 e 2008, Waters decidiu reviver sua obra prima "The Wall" ao vivo. Ele já havia feito algo parecido em 1990, em um show para comemorar a queda do muro de Berlim, com a participação de diversos convidados (Scorpions, Cindy Lauper, Bryan Adams) - confesso que não gostei muito do resultado. Para esta nova empreitada, Waters montou uma banda com os seguintes integrantes (dados da Wikipedia):
  • Roger Waters – baixo, vocais
  • Graham Broad – bateria (esteve aqui no Brasil com Waters na turnê anterior)
  • Dave Kilminster – guitarra (esteve aqui no Brasil com Waters na turnê anterior)
  • G. E. Smith – guitarra, baixo
  • Snowy White – guitarra (esteve aqui no Brasil com Waters na turnê anterior)
  • Jon Carin – teclados (tocou na turnê "In The Flesh" de Waters e na turnê do disco "On A Island" de David Gilmour - já tocou também nos discos mais recentes do Pink Floyd)
  • Harry Waters – teclados (filho de Roger Waters, vem tocando com o pai desde 2002)
  • Robbie Wyckoff – vocais (canções e partes originalmente cantadas por David Gilmour)
  • Jon JoyceKipp LennonMark LennonPat Lennon – backing vocals
(em um dos shows desta turnê, na O2 Arena, na Inglaterra,
David Gilmour e Nick Mason apareceram como convidados especiais)

A turnê começou em setembro de 2010, no Canadá, depois foi para os EUA e encerrou o ano com shows no México. Em 2011, a turnê foi para a Europa, ficando lá até julho. No começo deste ano, a turnê reiniciou com shows na Austrália e Nova Zelândia, e parte para o nosso continente no começo de março, com shows no Chile, Argentina (nove shows em Buenos Aires!) e Brasil. Em abril a turnê passa rapidamente pelo México novamente para cobrir novamente os EUA de maio a julho. Os dados da turnê na Wikipedia apontam para uma grande maioria de shows esgotados, com grandes vendas - quase 200 milhões de dólares!

O set list da turnê tem sido o mesmo: todas as músicas do disco são tocadas, na sequência original (não vá ao show esperando "Time" ou "Money"...) - ainda temos "What Shall We Do Now?" e uma música instrumental extra, "The Last Few Bricks", usada para dar tempo de montagem do muro. Vejam abaixo:
Primeira parte:
"In the Flesh?"
"The Thin Ice"
"Another Brick In The Wall Part 1"
"The Happiest Days Of Our Lives"
"Another Brick In The Wall Part 2"
"Mother"
"Goodbye Blue Sky"
"Empty Spaces"
"What Shall We Do Now?"
"Young Lust"
"One Of My Turns"
"Don't Leave Me Now"
"Another Brick In The Wall Part 3"
"The Last Few Bricks"
"Goodbye Cruel World"

Segunda parte:
"Hey You"
"Is There Anybody Out There?"
"Nobody Home"
"Vera"
"Bring The Boys Back Home"
"Comfortably Numb"
"The Show Must Go On"
"In The Flesh"
"Run Like Hell"
"Waiting For The Worms"
"Stop"
"The Trial"
"Outside The Wall"

Alguns vídeos da turnê:
"In The Flesh", abertura do show:

Sequência com as duas primeiras partes de "Another Brick In The Wall" intercaladas por "The Happiest Days Of Our Lives":

"Goodbye Blue Sky", ao vivo na O2 Arena:

"Comfortably Numb", ao vivo na O2 arena, com participação de David Gilmour:

Acompanhe o Ripando a História do Rock pelas redes sociais: TwitterFacebookTumblr. Vejo vocês no Engenhão!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...