Pesquisar neste blog:

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Michael Schenker - o Deus alemão da guitarra

Este post vai falar sobre Michael Schenker, grande guitarrista alemão cuja carreira se inicia lá no começo dos anos 70 e já dura mais de quatro décadas, sempre a serviço de um rock de alta qualidade e de solos grandiosos. Ele influenciou muita gente grande, desde a NWOBHM, Iron Maiden e tal, até Metallica, Megadeth e outros. Sua marca registrada, além da qualidade dos solos, é a Flying V metade preta, metade branca, tendo inclusive desenvolvido um modelo dele com um fabricante de instrumentos.


Michael Schenker é o irmão mais novo de Rudolph Schenker, que formou o Scorpions no meio dos anos 60 (sim, os Scorpions são bem antigos!). No finalzinho daquela década, duas adições preciosas para a banda: o irmão prodígio, Michael, e o vocalista Klaus Meine entram para a banda, formando o corpo principal que gravaria o primeiro disco do grupo, em 1972 - "Lonesome Crow". A banda partiu para uma turnê, abrindo para os ingleses até então pouco conhecidos do UFO (estes tinham sucesso maior no Japão e na Alemanha que na própria Inglaterra...). No final da turnê, depois dos ingleses terem testado diversos guitarristas (incluindo Bernie Marsden, futuro Whitesnake), Michael foi convidado a se juntar à banda, e ele acabou aceitando o convite. Uli John Roth acabou assumindo a guitarra solo dos Scorpions. A esta altura, Michael tinha 18 anos e já era respeitado no meio musical como guitarrista...
UFO em 1974, da direita pra esquerda: Michael Schenker, Andy Parker, Phil Mogg, Paul Chapman e Pete Way
Então, Michael entra no UFO, em 1973, uma banda inglesa até então pouco conhecida - já citei que a banda tinha mais sucesso na Alemanha e no Japão. E ele, alemão, não falava inglês!! Ainda assim, no ano seguinte a banda já lançava seu primeiro disco com Schenker na guitarra - "Phenomenon". O som da banda muda da água para o vinho, iniciando o hard rock vigoroso e melódico pelo qual o UFO acabou conhecido. Este primeiro disco já continha clássicos, tais quais "Doctor Doctor" (para quem foi na última turnê do Iron Maiden, esta é a canção que tocava na abertura do show...) e "Rock Bottom". Michael participou de quase todas as composições. A banda entrou então no ciclo de disco/turnê/disco, lançando um álbum a cada ano. Diga-se de passagem, um disco melhor que o outro. E em um crescente de popularidade, que acaba chegando a seu ápice com "Lights Out", de 1977, que traz a faixa título, outro clássico do rock. "Obsession", de 1978, seria o último a contar com Schenker (até que ele retorna para uma reunião nos anos 90). Um belíssimo disco ao vivo, "Strangers In The Night", é lançado em 1979, trazendo mais sucesso para a banda. Mas já era tarde demais. No final da turnê do disco "Obsession", em outubro de 1978, após diversos problemas relacionados com o abuso de álcool do nosso guitarrista, e desgastes no relacionamento com membros da banda (em especial com o vocalista Phil Mogg), Schenker sai do UFO.

Fora do UFO, Schenker voltou para junto de seu irmão, retornando brevemente ao Scorpions, que estava gravando o disco "Lovedrive". Sua participação no disco se resumiu a solos em três canções. A banda queria que Michael ficasse permanentemente, mas os problemas com alcoolismo não permitiram (ele perdeu apresentações e chegou a ter um colapso durante um show) e Mathias Jabs acabou se firmando como o novo guitarrista do Scorpions. A Wikipedia cita um teste de Schenker para o Aerosmith, em 1979, quando Joe Perry saiu da banda. Cita também que Ozzy Osbourne pensou no seu nome para substituir Randy Rhoads, isto já em 1982...

Michael Schenker então resolveu montar seu próprio grupo, um que ele ditasse o ritmo e fosse o nome principal, então criou o Michael Schenker Group. Ele acabou descobrindo um belo vocalista para sua banda, Gary Barden, até então desconhecido. Com o novo vocalista, Schenker partiu para a gravação do primeiro disco do grupo, auto-entitulado. Alguns músicos participaram da gravação mas não ficaram para a turnê: Don Airey nos teclados (atualmente no Deep Purple), Mo Foster no baixo e Simon Phillips na bateria (ele já tocou com Dio e AC/DC). Para a turnê, Cozy Powell na bateria, Chris Glen no baixo e o ex-companheiro de UFO Paul Raymond na segunda guitarra. Esta bela formação não só excursionou como gravou o segundo álbum, "MSG", além de ser a banda tocando no disco ao vivo "One Night At Budokan".
Michael Schenker em 1983. Foto: Wikipedia
Schenker acabou caindo na mesma armadilha que Ritchie Blackmore caiu... Trocar o vocalista por um que trouxesse mais sucesso para a banda. E teve a mesma escolha que Blackmore: Graham Bonnet. Cozy e Paul acabaram saindo da banda também e uma grande mudança na formação, para gravar o terceiro disco, "Assault Attack", de 1982. A parceria com Bonnet acabaria logo depois da gravação do álbum, e Barden voltaria para salvar a turnê. Ainda com Barden, mais um disco de estúdio, "Built To Destroy", de 1983, e mais um ao vivo, "Rock Will Never Die", de 1984.
Michael Schenker e sua famosa Flying V. Foto: blog Colector's Room.
A busca pelo sucesso e as mudanças de formação continuaram. Um novo vocalista, Robin McAuley, acabou gerando uma nova parceria e um novo grupo, o McAuley Schenker Group (curiosamente continuaram usando o mesmo logo, já que as letras não mudaram...). Este novo grupo acabou lançando três discos de estúdio.

Os anos 90 trariam Michael Schenker de volta ao UFO, participando de uma reunião da grande formação dos anos 70 e lançando alguns álbuns. Acabou sendo um vai e volta: eles voltavam, lançavam um álbum, os mesmos problemas de relacionamento aconteciam e Schenker voltava a sair. Até que em 2003, a saída aparentemente definitiva, e o UFO arranja um substituto de peso: Vinnie Moore. Durante esse vai e vém, três discos de estúdio: "Walk On Water", de 1995, "Covenant", de 2000, e "Sharks", de 2002.

Depois que os planos de reunião com seus antigos colegas de UFO terminaram, Michael reforma o Michael Schenker Group e grava diversos álbuns, com vocalistas variados. Em 2008, a velha parceira com Gary Barden é retomada. Ano passado, 2011, o grupo tocou aqui na América do Sul, incluindo uma apresentação em São Paulo, em fevereiro (queria ter ido, mas nesta época não tive condições... vamos torcer pra ele voltar outras vezes!).

Atualmente, Schenker está excursionando para promover seu disco solo "Temple Of Rock", excursionando com três diferentes vocalistas: Michael Voss, Robin McAuley e Doogie White (cada trecho da turnê usa um vocalista diferente). Os planos de excursionar com outros dois guitarristas, Uli John Roth e Leslie West, foi adiado, sem maiores explicações.

E nesta data, 10 de janeiro de 2012, nosso grande guitarrista completa 57 anos. Longa vida a este gênio musical alemão!!

Alguns vídeos com Michael Schenker:
UFO - "Lights Out" ao vivo:

MSG - "Lost Horizons" - ao vivo em Hamburgo, 1981:

Scorpions com Michael Schenker - "Lovedrive" - show no festival Wacken, 2006 (foi lançado em DVD):

MSG - "Armed And Ready" - turnê de 30 anos da banda, Japão, 2010:

Fiquem ligados no blog (TwitterFacebookTumblr) que em breve falaremos mais sobre Michael Schenker. Ele merece!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...