Pesquisar neste blog:

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

System of a Down - Rock In Rio, 02/10/2011 - como foi o show

Acabou o Rock In Rio. Para mim, o evento se encerrou com chave de ouro, com um show maravilhoso de uma banda inédita para nós, brasileiros (o ineditismo foi quebrado no sábado, em São Paulo). Vamos falar como foi o show dos armênios mais loucos do planeta.

Serj Tankian, vocalista do System of a Down, em ação no Rock In Rio. Foto: Jornal Extra

Antes, vou comentar rapidamente sobre os demais shows do dia. Cheguei por volta das 16:30 na Cidade do Rock e o show dos Mutantes já estava rolando no Palco Sunset. Acabei não acompanhando. Aproveitei pra dar uma volta completa e conhecer a tal Rock Street (na minha opinião, nada demais, apenas um espaço de comércio com lojas e um coreto para show), onde tava rolando um show bem legal com grandes nomes do blues brasileiro, incluindo Jefferson Gonçalves e Big Joe Manfra. Consumi uma tapioca bacaninha, bebi um refrigerante e me sentei pra aguardar o começo dos shows. No Palco Mundo, o show dos Detonautas agradou a plateia, já Pitty eu não dei a devida atenção, mas não me agradou muito o pouco que vi, pois já me dirigia para o Palco Sunset no intuito de ver o show dos Titãs. O show dos Titãs, junto com a banda portuguesa Xutos & Pontapés, foi muito legal, todo mundo junto no palco encorpou mais as músicas já ultra conhecidas deles. De volta para o Palco Mundo, o Evanescence já estava no meio de sua apresentação. Confesso que não gosto deste tipo de som que a banda leva, e achei que o restante da plateia também não estava gostando muito, só vibrou mesmo no final, com uma música bem conhecida que eles tocaram.

Por volta das 23:20, um pano gigante cobriu o palco com o nome da banda principal daquele dia. Sim, banda principal, porque o Guns (ou Axl Rose Band, como prefiro chamar) com certeza atrasaria barbaridade, não tem mais a mesma graça sem os outros integrantes e a chuva que caiu depois... Enfim, com o pano levantado, pouco depois começam os primeiros acordes de "Prison Song". A vibração da plateia foi enorme, e foi então que percebi que grande parte do público estava ali para ver os armênios. Quando a música começa pra valer e o pano cai, a agitação tomou conta completamente da Cidade do Rock, que vibrou e cantou intensamente as primeiras canções: "B.Y.O.B.", "Revenga", "Needles", "Radio/Video", "Hypnotize", "Psycho". Várias rodinhas se abriram, mas tudo na paz, galera se divertindo pra valer. Em "Chop Suey!" a vibração foi ainda mais intensa. E se manteve alta em "Lonely Day", "Inner Vision" e explodiu em "Cigaro", com uma letra doida cantada em ritmo lento antes pelo guitarrista Daron Malakian. Uma sequência de músicas do primeiro disco da banda, com "Toxicity" enfiltrada ali no meio, encerrou a fantástica apresentação. veja o set list completo abaixo (entre parênteses o nome do disco no qual a música foi lançada):

1 - "Prison Song" ("Toxicity")
2 - "Soldier Side - Intro" ("Mezmerize")
3 - "B.Y.O.B." ("Mezmerize")
4 - "Revenga" ("Mezmerize")
5 - "Needles" ("Toxicity")
6 - "Deer Dance" ("Toxicity")
7 - "Radio/Video" ("Mezmerize")
8 - "Hypnotize" ("Hypnotize")
9 - "Question!" ("Mezmerize")
10 - "Suggestions" ("System of a Down")
11 - "Psycho" ("Toxicity")
12 - "Chop Suey!" ("Toxicity")
13 - "Lonely Day" ("Hypnotize")
14 - "Bounce" ("Toxicity")
15 - "Lost In Hollywood" ("Mezmerize")
16 - "Kill Rock 'n' Roll" ("Hypnotize")
17 - "Forest" ("Toxicity")
18 - "Science" ("Toxicity")
19 - "Mind" ("System of a Down")
20 - "Inner Vision" ("Steal This Album!")
21 - "Holy Mountains" ("Hypnotize")
22 - "Aerials" ("Toxicity")
23 - "Vicinity Of Obcenity" ("Hypnotize")
24 - "Tentative" ("Hypnotize")
25 - "Cigaro" ("Mezmerize")
26 - "Suite-Pee" ("System of a Down")
27 - "War?" ("System of a Down")
28 - "Toxicity" ("Toxicity")
29 - "Sugar" ("System of a Down")

Reparem que aqui não tivemos nenhum efeito pirotécnico ou visual, como tivemos bastante nos shows principais do dia Metal, com o Slipknot e o Metallica. Não, aqui tivemos apenas a música doida varrida dos caras, uma mistura danada que ninguém consegue definir. Vá lá, tivemos uns efeitos visuais de palco com o jogo de luzes, que estavam bem bacana. Mas a atenção maior era para a música do System mesmo. A banda, acho que sentindo a vibração intensa do público e talvez já sabendo do provável atraso da banda seguinte, partiu para seu show completo, 28 músicas. Muito obrigado, System of a Down, por satisfazer completamente a plateia do último dia do Rock In Rio. Salvaram a noite!!

Amanhã é um outro dia e a gente já vai se preparar para a semana que vem, afinal, o Deus da guitarra está a caminho! Até lá!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...