Pesquisar neste blog:

domingo, 14 de março de 2010

Letra C Internacional - Coverdale/Page, Cream, Creedence e outros

A letra C não tem nomes tão importantes na minha coleção internacional, mas ainda sim alguns nomes que mudaram a história do rock, como o Cream, trio dos anos 60 que foi fundamental para o rock como conhecemos hoje. E fundamental porque revelou definitivamente Eric Clapton para o mundo. Do Cream eu só tenho uma coletânea, o que é pouco, mas a discografia do Cream é pequena, os clássicos estão todos presentes lá. "Sunshine Of Your Love" é a minha favorita, um riffaço muito legal, levada bastante bacana. Lembro de uma banda totalmente desconhecida levando essa música numa festa no 6º andar da UERJ (andar de matemáticos e informáticos...), fizeram uma versão legal. A UERJ sempre tinha alguma banda tocando em algum andar. Boas bandas, mas totalmente desconhecidas.

No death metal, temos Cannibal Corpse e Carcass. Tenho do primeiro o "The Bleeding" e do segundo o "Heatwork". Dois petardos de primeira. O disco "The Bleeding" eu nem conhecia quando comprei, mas acabei gostando, já conhecia a fama do Cannibal e já tinha visto um ou outro clip na MTV. Já o "Heatwork" é aquele trabalho clássico do Carcass, em que eles dão uma aliviada para fazer um discaço de alta qualidade. Com dois clips na MTV, que adorei, corri pra comprar este disco. Bons tempos de MTV passando clips de rock e metal. Eram os tempos do Fúria Metal...

Tem o Coal Chamber, outra que o videoclip me fez correr atrás do disco. Uns caras muito doidos, mais aquela baixista... O som é o famoso alterna-metal, ou nu-metal, que tanta gente fala mal e reclama. Não sou o maior dos fãs deste estilo, mas tem muita coisa boa, o Coal Chamber era bem legal, o clip de que falei é o "Loco", do primeiro disco. No segundo disco, tem uma cover bacana do Peter Gabriel na voz do Ozzy, "Shock The Monkey". Porreta !!

Cro-Mags, mesma história: vi o clip de "We Gotta Know", uma porrada de primeira, e corri atrás do disco. Só mesmo importado. O Cro-Mags é banda de NY, e de lá sai cada coisa boa, tipo Agnostic Front, Biohazard. Tudo no estilo hardcore crossover, aquele som que é porrada com peso, gosto muito.

O Concrete Blonde é uma banda com vocal feminino que conheci através de um amigo (grande Marco Antônio!). O cara levou os discos pra copiar no trabalho e acabou todo mundo gostando e copiando também. Acabamos indo no show deles na Barra, bem legal. O disco que mais gostei foi o "Bloodletting", com as baladinhas "Caroline" e "Joey". Mas a música que mais gosto deles é a "Still In Hollywood", que tocava na Fluminense FM (ai, quanta saudade!), bem bacana.

O Jimmy Page, nos anos 80, não se conformava em ficar parado. Ele deve ter tentado várias vezes chamar o Robert Plant pra se reunir e cantar as músicas do Zeppelin. Diante da negativa de Plant, ele deve ter chamado o Coverdale e falado: "vamos gravar um disco juntos?". É o que tudo indica que aconteceu. Em 1991, saiu esse discaço com os riffs característicos do Page, esse monstro da guitarra, e o vocal do Coverdale, que às vezes tenta parecer com o Plant. Eu gostei muito do disco, mas teve gente que não gostou, disse que o Coverdale imitou o Plant. O certo é que, depois desse disco, o Page conseguiu convencer o Plant e eles partiram pra mais um projeto juntos. Ainda bem, pois na turnê deste projeto, os brasileiros conseguiram vê-los em ação. Que show...

Pra fechar o post, Creedence Clearwater Revival. Com esse nome grande, muita gente diz que não conhece. Ledo engano. Quase todo filme que fale dos anos 60 traz uma música deles na trilha sonora. Foi assim com Forrest Gump, que traz até mais de uma música. O Creedence fez um rockão de qualidade e com melodias ótimas, grudentas, por isso deve ter feito tanto sucesso. Eu quase não via disco deles pra vender, quando vi as coletâneas, comprei-as, ambas. 40 músicas do Creedence, com todos os sucessos. Acabei desanimando de comprar outros discos deles, mas merecem. Imaginem quem viveu no final dos anos 60 (não no Brasil, estávamos no auge da ditadura, AI-5, péssimo de se viver. Lá fora, EUA, Inglaterra, todo aquele clima rolando), devia ter lançamento de cada banda. Imagina: uma hora sai o novo do Hendrix, depois sai o novo do Pink Floyd, dos Beatles, dos Stones, do Creedence, da Janis, do Santana. Caralho !!!!!! Máquina do tempo pra gente ir viver essa época !!!!!

Grande abraço, letra D é letra importante demais: Deep Purple...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...